Com 9 meses de gestão, ponte para o futuro de Temer devolve meio milhão para a linha da pobreza

Neste domingo (12), a gestão Temer completou 9 meses e computa os piores números verificados nos últimos 15 anos. São 11,8 milhões de pessoas desempregados em todo o país refletindo, número que amplia fortemente a pobreza. Além disso, estudo inédito do Banco Mundial, publicado pelo impresso O Globo, nesta segunda-feira (13), revela que meio milhão de brasileiros retornaram para a linha da pobreza.

De acordo com o estudo, houve um avanço de 33% na demanda ao programa no último período. O número de famílias que reingressaram no programa também cresceu em 22,6%. 

Analistas apontam que a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, que congela os investimentos em setores sociais e desmonta a estrutura dos órgãos responsáveis políticas nas áreas de combate à pobreza, piorará ainda mais o cenário. 

Pobreza extrema

O relatório também analisou os números da pobreza extrema e verificou um cenário ainda pior. O índice de brasileiros na pobreza extrema foi de 3,4%, em 2015, e pode alcançar 4,6%, um retrocesso social, especialmente, tendo em vista o ciclo virtuoso vivido entre 2003-2015.

Pnad

A partir dos dados oficiais sobre renda mais recentes, coletados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, o Banco Mundial estima que 8,7% da população, ou 17,3 milhões de brasileiros, viviam abaixo da linha da pobreza naquele ano, contra 7,4% em 2014.

Foi o primeiro aumento da pobreza após uma década de quedas sucessivas.

Segundo a instituição, o número de pobres deve chegar a 19,8 milhões de pessoas num cenário otimista de crescimento econômico em 2017, dos quais 8,5 milhões estarão na extrema pobreza. Na previsão pessimista, de mais um ciclo de recessão, serão 20,9 milhões de pobres, sendo 9,4 milhões em estado de miséria.

Portal CTB – Com informações do O Globo

Compartilhar: