Bolsonaro é a “tchutchuca” do agronegócio

O governo Bolsonaro começa a ceder à pressão da bancada ruralista. A troca de favores e de apoio na campanha presidencial saiu caro para a população e a conta já chegou às mãos do presidente.

O chefe do Executivo vai enviar ao Congresso uma proposta para anistiar pelo menos R$ 17 bilhões de dívidas previdenciárias das empresas do agronegócio com o Funrural (Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural).

A AGU (Advocacia-Geral da União), a PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional) e a Receita Federal alertaram para o risco de crime de responsabilidade com a decisão. A medida encontra resistência e oposição dentro da própria equipe de governo. Ainda assim, Bolsonaro ignora e pretende cumprir com o acordo, mesmo depois da dívida ter sido parcelada e recebido descontos altíssimos no governo Temer. A pressão é pelo perdão total.

É injusto com a sociedade brasileira e com a agricultura familiar, sobretudo no momento que o país atravessa, com cortes em programas sociais e em orçamentos voltados para a população. São benefícios absurdos para um setor que historicamente tem sido beneficiado em diversos aspectos. A verdade é que de nova política esse governo não tem nada.

 

Com informações de bancariosbahia.org.br

Compartilhar: