Bancos eliminam 2.245 vagas, indica Caged

Mesmo abocanhando lucro recorde, o que parece é que a lógica adotada pelos bancos é: quanto mais lucros, mais cortes. É o que revela os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). De janeiro a agosto de 2018 foram eliminados 2.245 postos de trabalho em todo o país.

Os bancos múltiplos com carteira comercial – estão inclusos aí o Itaú, Bradesco, Santander e BB -, foram responsáveis pelo corte de 1.363 postos no período. A Caixa eliminou 1.020 vagas.

Mais lucro, menos empregos

A justificativa para as demissões é a crise e a instabilidade política. Mas, essa conta não fecha, somente os cinco maiores bancos lucraram R$ 41,9 bilhões nos primeiros seis meses de 2018, 17,8% a mais em relação a idêntico período de 2017.

Salários devalorizados

O Caged também indicou redução dos salários para as novas admissões. De janeiro a agosto, os bancários admitidos ganhavam 66% (em média, R$ 4.261,00) dos demitidos (R$ 6.467,00)

Efeito Reforma Trabalho

Jornal CTB – Com informações da Contraf e do Caged

Compartilhar: