Bancos cortam 6.785 postos de trabalho em um ano

Em greve, os bancários reivindicam muito mais do que reajuste salarial. Querem condições dignas de trabalho. Mesmo com aumento do número de clientes por funcionário, os bancos reduzem o quadro de pessoal.
As cinco maiores empresas em atividade no país (Itaú, Bradesco, BB, Santander e Caixa) cortaram 6.785 postos de trabalho no primeiro semestre.

No Bradesco, em 2015 eram 802 correntistas para cada bancário. Hoje são 869. Aumento de 8,2% em um ano. No mesmo período, a organização financeira, segunda maior do Brasil, reduziu em 1,7% o número de funcionários por agência.

O descaso dos bancos faz da categoria bancária uma das que mais adoece. Em média, por ano, 18 mil trabalhadores do setor são afastados das atividades, 33% são por conta das LER/Dorts, 60% dos registros estão ligados a problemas psicológicos e 7% a acidentes.

Nesta terça-feira (20/9), a greve dos bancários completa o décimo quinto dia de mobilização, 13.071 agências tiveram as atividades paralisadas. A greve nacional dos bancários 2016 é a maior da história.

 

Compartilhar: