Ato contra a privatização da água reúne mais de 1.500 manifestantes em Chapecó

Há muito tempo as ruas de Chapecó, em Santa Catarina, não recebiam uma manifestação tão grandiosa. Mais de 1.500 pessoas participaram ativamente, na última semana, do ato contra a privatização da água no estado.

A mobilização convocada pelo Fórum em Defesa do Saneamento Público, que é integrado pelos movimentos sociais da região contou com a participação fundamental do Sintaema (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em água, esgota e Meio Ambiente de Santa Catarina), filiado à CTB.

O secretário de Comunicação da CTB Santa Catarina, Alzumir Rossari, avaliou a atividade como vitoriosa. “Tomamos às ruas da cidade em defesa de um bem público que está sendo ameaçado. Com certeza foi a maior manifestação contra o atual prefeito. O sucesso do ato político  demonstrou o descontentamento do povo diante do decreto de municipalização, ou melhor, de privatização da água. A partir de agora, a batalha está se dando judicialmente”, salientou.

O Juiz Celso de Oliveira concedeu liminar, no dia em que ocorreu a mobilização, garantindo a Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) o direito de continuar operando em Chapecó. A mesma foi derrubada pelo Tribunal de Justiça do Estado. A Casan já entrou com pedido de cassação.

Portal CTB com informações de Chapecó/SC

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado