Araújo e Olavo viram piada na mídia internacional

Colunista do WP ironiza chanceler ‘desconexo’; Guardian debocha ideólogo por afirmar que Adorno ‘compôs canções’ dos Beatles

Ernesto Araújo e Olavo de Carvalho provocam risadas.

Por Nelson de Sá*

O colunista de política externa Ishaan Tharoor, do Washington Post, comentou ao vivo uma palestra de Araújo na conservadora, mas não extremista, Fundação Heritage, com sarcasmo crescente. “Agora ele está falando de Rosa Luxemburgo”, tuitou, com espanto. “É impressionante como suas observações são desconexas.”

“É extraordinário. Não está claro se ele já leu Teoria Crítica fora do Wikipedia, mas está pedindo demais do público da Heritage… Agora fez distinção entre leninismo e stalinismo, como se alguém ali se importasse… Sim, Araújo agora se queixa que a esquerda malvada quer tirar a carne vermelha de nós.”

Já o Guardian publicou texto ridicularizando o “autodidata” Olavo por uma declaração que deu sobre os Beatles —de que “quem compôs suas canções foi Theodor Adorno”. Este seria então “o quinto Beatle”, escreveu o jornal britânico, na banda de “John, Paul, George, Ringo e Teddy”.

Na verdade, avisa o Guardian, o filósofo alemão “desprezava os Beatles” e até a música de protesto dos anos 1960, segundo ele corrompida pelo elo com a indústria cultural. O jornal descreve a declaração de Olavo como “silly”, tola, mas associada a uma retórica “tóxica” que não tem nada de engraçada.

Logo em seguida, como que para mostrar que extrema direita não é piada, EUA e o Brasil de Araújo aprovaram convocar uma reunião pan-americana para decidir sobre eventual ação militar contra a Venezuela. E o presidente Donald Trump, após nomear um “linha dura” para tratar de América Latina, tuitou:

“As minhas opiniões sobre a Venezuela eram muito mais fortes que as de John Bolton. Ele estava me segurando!”

Distensão comercial

Por outro lado, o mesmo Trump deu novo sinal de que deseja ceder em sua guerra comercial contra a China. E o Wall Street Journal noticiou que esta se dispõe a um acordo comercial limitado com os EUA.

Segundo o Global Times/Huanqiu, Pequim até já iniciou um levantamento dos “preços de produtos americanos, inclusive soja e porco” —que o Brasil também exporta para a China.

Link: http://www.globaltimes.cn/content/1164343.shtml



LULA LÁ

O ex-presidente falou ao francês Le Monde, que destacou na capa a declaração “Bolsonaro é resultado da rejeição da política” (acima, às esq.).

No domingo, como já está anunciando, é a vez do Página/12 com “a primeira entrevista de Lula a um veículo argentino”.

‘GOOGLE DIZ’

O serviço de busca do Google anunciou na quinta que iria “elevar reportagem original” nos resultados da plataforma. No enunciado incrédulo do New York Times, “Google diz” que vai fazê-lo.Nelson de Sá

*Jornalista, foi editor da Ilustrada.

Compartilhar: