Após o engodo trabalhista, vem o da Previdência

Assim como a reforma trabalhista, a reforma da Previdência deixa o brasileiro ainda mais vulnerável e sem o direito à aposentadoria. Todos vão sentir. Desde os trabalhadores rurais, idosos em situação de miséria, mulheres, pessoas mais pobres. Só não mexe nos privilégios do topo da pirâmide social, como argumenta Bolsonaro. 

Não é a primeira vez que o governo e a grande mídia tentam enganar a nação. Com a reforma trabalhista, a promessa era de gerar mais de 8 milhões de empregos formais e, consequentemente, retomar o crescimento econômico. 

Mas, na prática, nada disso aconteceu. A recessão continua e o desemprego não para de crescer. Mais de 13 milhões estão sem trabalho. Sem contar com as mais de 24 milhões de pessoas subutilizadas ou em trabalho informal, sem garantia alguma.

Na verdade, a reforma trabalhista serviu apenas para atender agenda de austeridade do neoliberalismo, que deixa o cidadão fragilizado, sem segurança trabalhista e empobrece a população que tem os salários ainda mais achatados em um país onde o custo de vida está cada dia maior.

Com informações de bancariosbahia.org.br

Compartilhar: