Metalúrgicos unificam luta em defesa do setor naval brasileiro

 

A CTB participou na última quarta-feira (3) de uma reunião para a assinatura de um termo de compromisso para unificar a luta em defesa dos direitos dos trabalhadores do setor naval.

O acordo estipula um prazo de seis meses para a criação de um contrato para que o piso salarial e as condições de trabalho do setor naval sejam justos e equiparados. A categoria quer criar uma convenção coletiva e única em que algumas cláusulas sejam iguais para todos os trabalhadores do Brasil.

“É um passo muito importante para a categoria”, declara Alex Santos (de vermelho na foto), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, que participou da reunião acompanhado do dirigente Wallace Paz de Aragão, secretário-geral da Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal).

Em Niterói, no Rio de Janeiro, um trabalhador da indústria naval recebe, no mínimo, R$ 2500. Já no estado do Rio Grande do Sul, em média, o piso é de R$ 1400.

Há quatorze anos havia 1900 postos de trabalho e hoje emprega mais de 70 mil trabalhadores, foi um crescimento de 16% ao ano. Porém, a rotatividade no setor chega a 56% ao ano, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Portal CTB com informações da Rede Brasil

 

Compartilhar: