Baixa escolaridade aumenta a desigualdade

O Mapa do Ensino Superior no Brasil divulgou levantamento feito pelo Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior de São Paulo) onde mostrou uma baixa taxa de escolarização superior líquida no país entre jovens de 18 a 24 anos. O índice de jovens matriculados ficou em 18,5% em 2018. A menor taxa de escolarização superior ficou no Maranhão, com 10,6%.

Os dados são preocupantes. Um adulto que chegou apenas ao ensino fundamental ganha em média 62% do salário daquele que completou o ensino médio. Já os que se formaram no curso superior superam a renda em 235%. É uma das maiores disparidades do mundo, de acordo a OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico). 

O último estudo do Atlas da Violência 2017 mostrou que em 2015, foram registrados 59.080 homicídios, 29 mortes a cada 100 mil habitantes. Dentre esses, o perfil predominante é de homens, jovens e negros de baixa escolaridade.

A educação é o maior caminho para a saída da criminalidade e desigualdade social. Mas infelizmente, o governo Bolsonaro até hoje não criou medidas para redefinir o quadro educacional precário no Brasil. 

Com informações de bancariosbahia.org.br

Compartilhar: