Trabalhadores abraçam e defendem sede do Sindicato dos Metroviários de São Paulo

Trabalhadores e trabalhadoras do Metrô abraçaram a sede do sindicato da categoria na tarde desta sexta feira (28) num gesto de protesto contra a venda do prédio e do terreno anunciada pelo governo Doria para este mesmo dia.

A sede da entidade foi inaugurada em 1990 e construída com recursos próprios da categoria em terreno cedido à época pelo estado. Alegando dificuldades financeiras, o governador resolveu interromper os contratos comodato dos terrenos com o Sindicato e vendê-los à iniciativa privada.

Os sindicalistas enxergam na atitude do governador um ato eminentemente antissindical que não está dissociado da campanha salarial dos metroviários, que têm esbarrado na intransigência da direção do Metrô, que teima em subtrair direitos e arrochar salários.

O protesto é uma resposta à ação arbitrária e arrogante do governador de São Paulo, que tem o propósito de enfraquecer a organização sindical. O presidente da CTB, Adílson Araújo, marcou presença no ato, que contou com a participação solidária de vários sindicalistas e trabalhadores de outras categorias. Veja fotos:


Compartilhar:

Conteúdo Relacionado