Sindicalistas promovem ato em Brasília nesta terça contra reforma da Previdência

O aeroporto de Brasília será palco de uma nova manifestação contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro nesta terça-feira (24). Sindicalistas da CTB e demais centrais ocuparão o local com o objetivo de tentar convencer senadores que estarão chegando dos estados à capital federal a rejeitar a proposta.

Na semana passada o relator da matéria no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), rejeitou 77 das 78 apresentadas ao texto, em sua maioria pela oposição, que tinha a finalidade de reduzir o retrocesso e as perdas impostas à classe trabalhadora pela PEC 6, encaminhada por Jair Bolsonaro ao Congresso.

O relatório do parlamentar tucano não alterou o caráter reacionário da proposta do governo da extrema direita, que extingue a aposentadoria por tempo de contribuição, estabelece a idade mínima (de 65 anos para homens e 62 para mulheres), aumenta o tempo de trabalho para alcançar o direito e introduz uma nova fórmula de cálculo que reduz o valor dos benefícios.

“É mais um golpe contra a classe trabalhadora”, denuncia o presidente da CTB, Adilson Araújo. “Vamos lutar até a última hora em defesa dos interesses legítimos da nossa classe e combater os argumentos falsos que o governo usa para ludibriar a opinião pública e vender seu peixe podre. Não é golpeando os trabalhadores e trabalhadoras que o Brasil vai sair da crise a que foi conduzido pelo golpe e pelo atual governo”.

A expectativa dos governistas era aprovar o relatório ainda nesta terça (24) tanto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) como no plenário, mas o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM/AP), adiou para quarta (25) o início da votação em primeiro turno. O segundo turno pode ocorrer no dia 10 de outubro.   

Compartilhar: