O Sindicato é fundamental, vai continuar existindo, mas terá de se renovar e ampliar a representatividade, diz economista

Em entrevista ao jornalista Altamiro Borges, a economista Marilene Oliveira Teixeira, doutora em desenvolvimento econômico pelo Instituto de Economia da Unicamp, analisa a conjuntura brasileira e as perspectivas do movimento sindical. Ela pondera que enquanto existe uma relação de opressão entre capital e trabalho o Sindicato é fundamental, mas é preciso repensar a ação sindical, fortalecer a unidade, ampliar a representatividade incorporando os informais à luta, trabalhar com os movimentos sociais. Proteger o emprego dos trabalhadores, a sobrevivência de micro e pequenas empresas e a saúde pública é a receita que sugere para contornar a crise sanitária e econômica.

Veja a íntegra da entrevista:

Compartilhar: