CTB reúne Conselho Nacional para definir estratégia de luta contra Bolsonaro

Plenária da CTB Bahia contou com ampla participação da base sindical.

Rumo ao 3º Conselho Nacional da CTB, que será realizado em Brasília nos dias 13 e 14 de dezembro, entidades estaduais reúnem lideranças da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em todas as regiões do país.

Com a crescente precarização e uberização dos postos de trabalho, combinado com a destruição de direitos e conquistas, o governo Bolsonaro amplia a subserviência aos grandes empresários e ao neoliberalismo ianque. Aposta ainda no total desmonte sindical para enfraquecer e frustrar a resistência dos trabalhadores. Prosseguindo com a orientação originária do golpe de 2016, que acabou com a contribuição sindical compulsória, agora o governo acena com o fim da Unicidade Sindical e a instituição do pluralismo, que visa a pulverização e desmonte das entidades sindicais.

Mirando o fim dos direitos e do trabalho digno, Bolsonaro avança com seu projeto antipopular, antidemocrático e antinacional. E a CTB permanece resistindo, conscientizando e mobilizando a classe trabalhadora para lutar contra o retrocesso e em defesa da democracia, da soberania nacional e da valorização do trabalho.

Neste sentido a direção nacional da CTB convocou para os dias 13 e 14 de Dezembro, em Brasília, o seu 3º Conselho Nacional, que vai debater iniciativas e medidas para fazer frente aos ataques e ameaças contra os trabalhadores e trabalhadoras.

Conselhos estaduais

Para a realização destes debates, as CTBs estaduais estão realizando também seus espaços de debate e formulação das ações políticas. Os Conselhos Estaduais reúnem toda a base de sindicatos filiada à Central e também elege os representantes que participarão do encontro em Brasília. Já foram realizados conselhos locais em Alagoas, Ceará, Rio Grande do Sul, além de Bahia e São Paulo, que organizaram a atividade na última segunda-feira (4).

O presidente da CTB Bahia, Pascoal Carneiro, alertou durante a realização do Conselho Estadual baiano que “se for aprovada a PEC 171/2019 o movimento sindical corre o risco de ser extinto em 10 anos, em função da rigidez que se impõe aos sindicatos. As entidades terão que ter 50% + 1 de associados para representar e para negociar, isso vai acabar com a unicidade sindical e instituir a pluralidade, deixaremos de existir e passaremos a ser ONGs”.

Em São Paulo, além do Conselho Estadual da CTB foi realizado o Ato Nacional em Defesa dos Direitos, das Entidades Sindicais e da Justiça do Trabalho. O evento realizado no Sindicato dos Metroviários, debateu a importância da unicidade sindical e contou com a participação de representantes da NCST, CSB, CGTB e FST.

Confira aqui os próximos Conselhos Estaduais com data marcada:

AMAZONAS | 9 de Novembro
ESPÍRITO SANTO | 22 de Novembro
PARÁ | 22 de Novembro
RIO DE JANEIRO | 26 de Novembro

Confira aqui o texto-base que tem norteado os debates.

Compartilhar: