Construir uma maioria política para barrar o retrocesso

A classe trabalhadora precisa ter um papel protagonista na luta política nacional, afirmou o presidente da CTB, Adilson Araújo. Em palestra durante o 8º Congresso do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Goiás (SINT-INFESgo) o líder classista observou que as grandes dificuldades enfrentadas hoje pela classe trabalhadora e os sindicatos têm origem na política.

A conjuntura, segundo ele, é marcada pela crise sanitária e econômica, o desemprego em massa e uma ofensiva sem paralelo do capital e do governo federal contra a classe trabalhadora. “As dificuldades que atravessamos antes e durante a pandemia são impostas pela agenda de restauração neoliberal iniciada no governo Temer e radicalizada por Jair Bolsonaro”.

O presidente da CTB fez uma palestra sobre a conjuntura na abertura do congresso

Para enfrentar os novos desafios “é necessário que a classe trabalhadora participe ativamente da luta política nacional e contribua para a construção de uma nova maioria política para barrar o retrocesso”, observou. “Vamos trabalhar para resgatar o protagonismo político da classe trabalhadora”, proclamou.

Instância máxima

O 8º Congresso do SINT-IFESgo foi aberto na tarde de segunda-feira (19). A atividade é a instância máxima de deliberação política da entidade e acontecerá até o dia 29 de outubro. Por causa da pandemia do coronavírus o evento ocorre através da internet e pode ser acompanhado pelas redes sociais do sindicato.

O tema da abertura foi “Conjuntura e Financiamento das IFES”, abordando a situação das Universidades e Institutos Federais diante da crise econômica, política, social e sanitária do país. O debate reuniu os reitores das Instituições Federais de Ensino (IFES) goianas e representantes de partidos políticos, além dos sindicalistas.

Ao lado de Adilson Araújo, também participou o presidentes da CTB-GO, Railton Souza, a presidenta da CUT-GO, Bia de Lima, e o presidente da Intersindical, Alexandre Aguiar.

A mesa também incluiu os dirigentes da Fasubra João Paulo Ribeiro, coordenador Júridico e de Relações do Trabalho e José Maria e Antônio Alves Neto, coordenadores gerais.

Programação

O coordenador Geral do SINT-IFEsgo, Fernando Mota, ressaltou a importância da realização do Congresso, mesmo com a pandemia de Covid-19. “Esse é o principal espaço de deliberação política da nossa categoria. Precisamos valorizá-lo e torná-lo cada dia maior. A grave crise sanitária que atravessamos impõe uma nova realidade, mas não nos furtamos de discutir as questões importantes para os TAEs do estado. A perspectiva é que façamos um debate qualificado e que possamos sair fortalecidos do congresso”, concluiu.

Confira a programação do Congresso:

21/10/2020(Quarta) – 2º dia – 9h às 12h
MESA 1: Serviço Público e Reforma Administrativa

  • Debates
    23/10/2020 (Sexta) – 3º dia – 15h às 18h

MESA 2: Carreira PCCTAE e Trabalho Remoto
27/10/2020(Terça)- 4º dia – 9h às 12h
Mesa 3: Saúde do trabalhador e diversidades no ambiente de trabalho

29/10/2020 (Quinta) – 3º dia – 15h às 18h
PLENÁRIA FINAL: Plano de lutas do sindicato (Plenária final com plano de lutas)

  • Apresentação dos relatórios
  • Debate
  • Encaminhamentos

Com informações do jornalista Artur Dias, assessor de imprensa do SINT-IFESgo

Compartilhar: