Cepetro-RN destaca unidade na luta pela democracia e resgate das conquistas trabalhistas

O primeiro dia do 34° Congresso Estadual dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte (Cepetro-RN) foi um convite à classe trabalhadora para a luta pela retomada de conquistas

Com um debate em alto nível e a conclamação da categoria petroleira a incorporar uma unidade em torno da luta por democracia, contra os ataques do Governo Federal aos trabalhadores brasileiros e o descaso com a saúde pública, o primeiro dia do 34º Cepetro-RN, realizado virtualmente com transmissão nas redes sociais do Sindipetro-RN foi um sucesso.

Democracia, trabalho e vida

A abertura do congresso, iniciada no final da tarde de quinta-feira, 25, contou com a importante presença do diretor de comunicação do Sindicato, Márcio Dias, além dos coordenadores do Sindipetro-RN, Rafael Matos, e da FUP, David Bacelar, que fizeram uma generosa saudação aos expectadores do evento e apresentaram o tema central da teleconferência: “Unidade para defender o Brasil, a Democracia, o Trabalho e da Vida”.

O coordenador interino do Sindipetro-RN, Rafael Matos, iniciou o evento falando sobre a importância do congresso como ferramenta de resistência. “Esse evento serve como uma forma de organização da categoria para resistir aos ferozes ataques que toda classe trabalhadora vem sofrendo nos últimos anos, especialmente do atual Governo e nos preparar para a luta que ainda vamos enfrentar em 2020”, lembrou Rafael.

Logo após a abertura do 34º Cepetro-RN virtual, houve a exposição do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) sobre o tema “Unidade para defender o Brasil, a Democracia, o Trabalho e da Vida”.

Em suas colocações, o deputado trouxe uma análise conjuntural sobre o momento político que o país atravessa, mas lembrou também que há quase uma década a crise e o processo de desvalorização da democracia iniciavam e, aliado a isso, se arrastavam os ataques aos direitos históricos dos trabalhadores.

Enorme declínio

“O último ano em que ocorreu um crescimento relevante da economia brasileira foi em 2010. De lá para cá foi um enorme declínio com a junção de diversos fatores agravantes, dentre eles a incapacidade de retomada do crescimento por ataques à democracia, conspirações políticas e a maior pandemia dos últimos 100 anos. Por tanto, pensar na solução para a crise que o país enfrenta passa por uma ação conjunta dos trabalhadores para reverter tais ações”, falou Orlando Silva.

O petroleiro e presidente estadual do PCdoB/RN, Divanilton Pereira, lembrou o protagonismo da categoria petroleira em vários momentos difíceis do país. “Os petroleiros sempre enfrentaram momentos difíceis ao longo da sua história, especialmente em momentos de ataques dos governos neoliberais. E, mesmo assim, a categoria resistiu. As tentativas de privatizações se repetiram em outras épocas, mas os petroleiros do país mostraram sua capacidade de resistência”, ressaltou Divanilton.

Desenvolvimento

Também estiveram presentes como convidados do evento, Ivis Corsino e Pedro Lúcio, dois diretores que estão licenciados por determinação do TSE, exigido para quem vai participar do processo eleitoral em 2020, falando sobre os principais desafios do movimento sindical na atualidade e do orgulho que é fazer parte da categoria petroleira.

“Essa é uma categoria da qual faço parte, e que muito me ensinou a partir do seu histórico de luta, com grande protagonismo nos rumos do país, com a criação de uma grande estatal, que fez uma enorme diferença no desenvolvimento do Brasil”, ressaltou Ivis Corsino, sobre o sentimento de ser trabalhador petroleiro.

Pedro Lúcio acrescentou que em decorrência dessa trágica pandemia foi preciso o sindicato se reinventar e fazer o congresso de forma virtual. Mas também falou do orgulho de ser um petroleiro.

“Sou muito orgulhoso de fazer parte de uma categoria combativa que em muitos momentos da história nacional esteve no ‘front’ da luta em defesa dos interesses do povo brasileiro, que defende a soberania e o desenvolvimento”, disse ele.

No segundo dia do congresso serão apreciadas as pautas de reivindicações da Campanha Salarial do Setor Estatal 2020/2021 e do Setor Privado 2020/2022 visando a celebração de acordos coletivos de trabalho, além de informes sobre Petros e AMS e ajustes estatutários para se adaptar aos novos tempos digitais.

Confira a programação do último dia:

17h00 – Apresentação do Regimento Interno do 34° CEPETRO.VIRTUAL.RN

17h30 – Informe Petros/AMS

18h00 – Apresentação e deliberação sobre alterações do Estatuto do SINDIPETRO-RN

20h00 – Eleição dos Delegados e Delegadas ao Congresso Nacional Virtual da Federação Única dos Petroleiros – CONFUP

21h00 – SindLive Cultural:

22h30 – Encerramento do 34° CEPETRO.VIRTUAL.RN

Compartilhar: