Acordo coletivo dos Correios é aprovado após assembleia

Foto: Sintect.

Nesta quinta-feira (22), a categoria dos Correios deu um passo importante rumo a melhorias em suas condições de trabalho e benefícios, após uma assembleia histórica, no Rio de Janeiro e em São Paulo que resultou na aprovação da proposta apresentada pela direção da empresa nas negociações da Campanha Salarial. A seguir, apresentamos os principais pontos e repercussões desse acordo:

Após a aprovação da proposta nas assembleias, a Federação Interestadual dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (FINDECT) agiu prontamente. No mesmo dia (21), protocolou um ofício junto à direção da ECT, solicitando a antecipação do pagamento do Vale Peru em Pecúnia para a data da assinatura do Acordo Coletivo, marcado para o próximo dia 27, em Brasília. Essa ação demonstra o compromisso da FINDECT e dos sindicatos filiados em acelerar os benefícios acordados.

José Aparecido Gandara, presidente da FINDECT, ressalta a importância da mobilização excepcional dos trabalhadores durante a campanha salarial. “Esta campanha salarial foi marcada por uma mobilização excepcional dos trabalhadores, o que nos permitiu alcançar ganhos salariais significativos e a reconquista de direitos que foram retirados ao longo dos últimos 6 anos. Estamos no caminho certo, mas a luta continua”, afirmou.

Principais pontos da proposta aprovada

A proposta aprovada traz diversas melhorias para a categoria, incluindo:

  • O pagamento do Ticket Peru em Pecúnia no valor de R$ 1.000, cinco dias após a assinatura do acordo coletivo.
  • Um reajuste de 3,53% aplicado nos tickets e em todos os benefícios, retroativo a 1º de agosto.
  • Um pagamento de R$ 1.500 em 2 de janeiro, referente ao retroativo dos meses de agosto a dezembro, além da parcela do 13º salário.
  • Aumento real linear de R$ 250 a partir de janeiro nos salários para quem ganha até 7 mil reais, e 3,53% para quem recebe acima de 7 mil.
  • A incorporação definitiva do aumento de R$ 250 ao salário base até julho de 2024.
  • O retorno de cláusulas importantes, como o pagamento dos 200% no repouso trabalhado e o parcelamento do adiantamento das férias.
  • Pagamento do ticket nos primeiros 90 dias de afastamento pelo INSS.
  • O retorno do abono acompanhante de 6 dias ou 12 períodos, entre outras cláusulas.

Estado de Greve para garantir cumprimento de compromissos

Também foi aprovado um estado de greve, como medida para garantir que os compromissos assumidos pelo presidente da empresa sejam efetivamente cumpridos, especialmente no que diz respeito às mudanças no compartilhamento do plano de saúde.

Democracia nas assembleias, mais cláusulas e ganho real

O presidente do SINTECT-SP, Elias Diviza, destacou a importância da democracia nas assembleias e o processo de negociação que resultou na proposta aprovada. Ele ressaltou que as negociações deste ano ocorreram de maneira muito diferente dos anos anteriores, com um diálogo mais efetivo entre governo, direção da empresa e trabalhadores.

Comparada à situação em 2020, quando mais de 50 cláusulas foram retiradas durante o governo Bolsonaro, a proposta aprovada mantém 37 cláusulas, reintegra 30 cláusulas e inclui 11 novas cláusulas, totalizando 78 cláusulas. Isso representa um ganho real para a maioria dos trabalhadores, mostrando que, apesar das dificuldades, a luta continua e está trazendo resultados positivos.

Apoio à luta das empresas públicas

Além das melhorias para os trabalhadores dos Correios, a assembleia também aprovou o apoio à luta dos trabalhadores e sindicatos das empresas públicas Sabesp, Metrô e CPTM contra os ataques privatistas do governador bolsonarista de São Paulo.

Nesse momento, a categoria dos Correios celebra as conquistas alcançadas e se prepara para continuar lutando por melhores condições de trabalho e benefícios no futuro. A mobilização e união dos trabalhadores se mostraram fundamentais para as vitórias conquistadas até agora. Com informções: Findect e Sintect.

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado