Metalúrgicos de Uberlândia aprovam reivindicações da Campanha Salarial 2022

Com 98% de votos favoráveis, os metalúrgicos de Uberlândia aprovaram a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2022/2023. A categoria pede reajuste de 14%, a manutenção das cláusulas da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) 2021 e o acréscimo de Abono Salarial. A proposta foi protocolada nesta terça-feira (23) no sindicato patronal.

“Entendemos que não podemos recuar na manutenção dos direitos. E vamos lutar por ganho real para a categoria”, afirma Mário Hudson, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicos de Uberlândia e Araguari. O reajuste de 14% proposto considera o IPCA acumulado até janeiro – que deve se manter igual ou maior em fevereiro – de 10,6%, mais ganho real, o que elevaria o piso salarial para R$ 1.453,76  sem prejuízo da cláusula de produtividade de 5% sobre o salário base do trabalhador.

Uma novidade na pauta de reivindicações é o pagamento do Abono Único Especial pelas empresas que não têm PLR (Participação nos Lucros e Resultados). A proposta é que as empresas com até 10 empregados contratados até 31 de março de 2022 paguem R$ 250 em duas parcelas – juntamente com os salários de maio e junho de 2023. As empresas com mais de 10 empregados, pagariam o abono de R$ 450 reais, também em duas parcelas. 

Para Mário, esse é o momento em que é preciso mais união entre os trabalhadores e apoio ao sindicato. “Apenas com o engajamento dos trabalhadores essas conquistas serão possíveis. Estaremos presentes nas empresas, conversando com os metalúrgicos e metalúrgicas sobre a importância da participação na negociação”, afirma. 

A Assembleia Geral foi realizada de forma remota, no sábado (19), e a urna de votação ficou disponível no site do Sindicato até às 18 horas desta terça-feira. No site também está disponível a íntegra da proposta de CCT. A data base da categoria é 1º de abril.

*Por Andressa Schpallir

Compartilhar: