PF deflagra operação contra bolsonaristas que lideram e financiam atos golpistas

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (16) uma ação com mandados de busca e apreensão contra o publicitário Sérgio Lima e o empresário Luís Felipe Belmonte. Os dois são ligados ao Aliança pelo Brasil, partido que o presidente Jair Bolsonaro pretende criar. O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), bolsonarista, também foi alvo.

As buscas e apreensões foram autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), dentro do inquérito que investiga a realização de atos antidemocráticos. Moraes é o relator do caso.

Segundo a jornalista Ana Flor, relato “de uma fonte que conversou com o presidente nesta manhã” indica que Bolsonaro “se irritou ao saber das novas ações da PF e reclamou que as operações focam ´mais uma vez´ seus apoiadores, tanto políticos quanto empresários que defendem seu governo, e o que chama de ´sua mídia´”.

Ao todo, são 26 mandados contra 21 pessoas, e os alvos estão em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Santa Catarina.

Matilha burguesa

Trata-se de gente rica, endinheirada, integrante das classes dominantes, da burguesia e classe média alta. Empresários e publicitários que têm dinheiro e meios para bancar a difusão em massa de mentiras para engabelar a opinião pública e financiar a empreitada golpista do Clã Bolsonaro.

Não há um só membro da classe trabalhadora entre os protagonistas desta extrema direita golpista que são alvos da Polícia Federal nesta terça. Isto diz muito sobre o caráter de classes deste governo, um traço que não é destacado ou mencionado pela imprensa burguesa.

O neofascismo à brasileira é obra de uma matilha raivosa de burgueses, ladeados de extremistas das classes médias altas, racistas, que exalam intolerância e ódio. São estranhos e hostis à classe trabalhadora e ao povo.

Atos golpistas

O objetivo da ação desta terça, segundo os investigadores, é levantar provas sobre a organização dos atos golpistas e sobre quem os financia. Os atos atacaram e ameaçaram instituições como o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF), o que é inconstitucional.

Outro alvo da operação desta terça é o empresário e blogueiro da extrema direita Allan Santos, dono do canal da internet “Terça Livre”, também apoiador de Bolsonaro. Ele se dedica a difundir fake news, teorias da conspiração contra a China e calúnias a adversários do governo.

A ação foi batizada pela PF como Operação Lume, uma referência à necessidade de iluminar os investigados para que todos fatos relacionados à autoria, materialidade e circunstâncias de financiamentos desses grupos sejam revelados.

Alvos

Entre os alvos da ação da PF nesta terça estão:

Luís Felipe Belmonte: empresário, advogado e um dos principais financiadores e organizadores do Aliança, partido que Bolsonaro pretende criar. É o primeiro suplente do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Também é dono de um time de futebol em Brasília.

Sérgio Lima: publicitário que atua junto com Bolsonaro na construção do partido Aliança pelo Brasil, ainda não formalizado. Segundo o jornal “O Globo”, ele foi o responsável pelo logotipo, pelo site e pelo aplicativo de coleta de assinaturas da legenda encabeçada pelo presidente

Daniel Silveira (PSL-RJ): deputado federal aliado do presidente Jair Bolsonaro. Junto com o deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), quebrou placa criada em homenagem da vereadora Marielle Franco durante comício de Wilson Witzel, então candidato a governador do Rio de Janeiro, em 2018

Allan Santos: blogueiro, é apoiador de Bolsonaro e um dos fundadores do site “Terça Livre”

Alberto Silva: também é blogueiro ligado a Bolsonaro e atua no canal “Giro de Notícias”. Os policiais fizeram busca em seu endereço em Poços de Caldas (MG)

Ravox Brasil: youtuber bolsonarista do canal Ravox Brasil.

Otavio Fakhoury: investidor do setor imobiliário, um dos fundadores do partido Aliança e colaborador do site conservador “Crítica Nacional”. Foi alvo de mandados também em operação no inquérito das fake news, no fim de maio

Camila Abdo: apresenta, na internet, o programa “Direto aos Fatos”

Marcelo Frazão: tem um canal no youtube em que posta vídeos a favor do governo e de manifestações de grupos bolsonaristas

Ernani Fernandes Barbosa Neto: mantém páginas de perfil conservador na internet

Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves: junto com Ernani Fernandes, tem páginas de perfil conservador

Valter Cesar Silva Oliveira

Roberto Boni: atua no “Canal Universo”, na internet

Na segunda-feira a nazistinha tresloucada Sara Giromini foi presa no âmbito do mesmo inquérito. Foi ela quem liderou a patética marcha com velas em Brasília até o STF no dia 30 de maio e os disparos de fogos de artifícios na direção do prédio que abriga a instituição no último sábado (13).

Com informações do G1

Compartilhar: