Em 25 de fevereiro, governo Bolsonaro comemorou contrato para compra da Covaxin

Uma publicação, datada do dia 25 de fevereiro deste ano, veiculada no site do Ministério da Saúde, anunciou com alarde o contrato de compra da vacina Covaxin, que está no centro do escândalo que será detalhado nexta sexta-feira (25) a partir de 14h na CPI da Covid.

“O Ministério da Saúde assinou, na tarde desta quinta-feira (25), contrato para compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin junto à Precisa Medicamentos/ Bharat Biotech. O investimento total foi de R$ 1,614 bilhão na compra da vacina produzida na Índia. A aquisição permitirá ampliar ainda mais a estratégia de vacinação dos brasileiros contra a Covid-19”, destaca o texto publicado na gestão do ex-ministro Eduardo Pazuello.

Veja o comunicado:

O comunicado oficial desmente a afirmação do ministro Marcelo Queiroga que, nesta quarta-feira (23), afirmou que o governo “não comprou nem sequer uma dose” da vacina indiana Covaxin, cujo contrato para a compra de 20 milhões de doses está na mira da CPI da Covid.

Se inscreva no nosso canal no YouTube /TVClassista

Compartilhar: