Bolsonaro manda jornalistas calarem a boca e chama Folha de jornal patife e mentiroso

Jornal Folha de S. Paulo, que ainda não fez sua autocrítica por ter apoiado o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff e a prisão política de Lula, foi mais uma vez agredido por Jair Bolsonaro, que questionou a manchete do jornal sobre a mudança promovida na Polícia Federal e por duas vezes gritou ao jornalista “cala a boca!”, diante dos portões do Palácio do Alvorada na manhã desta terça-feira  (5)

Cinicamente e com cara de deboche, o presidente chegou a atribuir a “infiltrados” a agressão contra profissionais do “Estadão” no ato golpista do último domingo (3), que por sinal foi também o Dia da Liberdade de Imprensa. Mas a conduta do líder neofascista contra a imprensa nesta terça não deixa margens a dúvidas sobre quem está alimentando as agressões a jornalistas.

De acordo com Bolsonaro, “grande parte [da imprensa] só publica patifaria”. “Passem bem”, bradou mais uma vez, deu meia volta e entrou no carro oficial. Ele fez referência ao fato de que o novo diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Souza, trocou a chefia da superintendência do Rio de Janeiro. Carlos Henrique Oliveira, atual comandante do estado, foi convidado para ser o diretor-executivo, número dois na hierarquia da PF (em nível nacional).

Compartilhar: