Adilson defende frente ampla para fazer frente ao bolsonarismo

A CTB realizou Plenária Sindical na última sexta-feira (4) para analisar a desafiadora conjunta política e sindical atual. O presidente da CTB, Adilson Araújo, esteve presente. A mesa de abertura compareram tambem os presidentes da CUT em Goiás, Mauro Rubem; da CMP, Walter; do Fórum Goiano de entidades sindicais e movimentos sociais, João Pires; e a sindicalista Jucilene da CGTB.

Participaram também da Plenária representantes do
Sesvig, sindicato dos vigilantes do Estado de Goiás e do Centro Popular da Mulher/CPM, entre outras entidades.

Adilson fez uma ótima análise da conjuntura política e sindical do Brasil apresentando os grandes desafios que temos pela frente e que exigirão de nós esforços redobrados para construir uma grande unidade nacional dos setores consequentes e democráticos da nação.

Araújo reafirmou para os presentes o conteúdo da Resolução Política da 21 Reunião da Diretoria Executiva Ampliada da CTB que aconteceu em Curitiba/PR nos dias 26 e 27 de setembro: a defesa da Unicidade Sindical, prevista no artigo 8 da Constituição Federal de 1988 e a necessidade da grande articulação nacional para formar uma Frente Ampla em defesa da democracia e dos direitos da cidadania do povo trabalhador brasileiro, que estão sendo demolidos pelo bolsonarismo.

Todos os participantes saíram animados e motivados a fazer crescer cada vez mais a CTB em Goiás como força de construção da unidade da classe trabalhadora.

Fizeram uso da palavra várias dirigentes de sindicatos e movimentos sociais. Veja lista abaixo:

  1. João Machado do Sindicato dos Vigilantes de Aparecida de Goiânia/Sindvap.
  2. Nádia Vaz do Sindicato dos Professores de Anápolis e região/Sinpror, do setor privado.
  3. Márcia Abdala do Sindicato dos Professores da rede pública de Anápolis/Sinpma.
  4. Alan Francisco, presidente da Fitrae-BC e diretor do Sinpro Goiás.
  5. Euler Ivo do MLCP
  6. João Batista da AMPG(Associação mobilização dos Professores).
  7. Jordani, mais conhecido como Tiquinho, liderança dos movimentos sociais de Goiás.
  8. Caio da UJS.
  9. Zuza do movimento estudantil.
  10. Aroldo do Sinteea, sindicato dos técnico-administrativos de Anápolis e região, público e privado.
  11. Fernando Mota. Presidente do Sint-ifesgo, Técnicos-Administrativos das Instituições Federais de ensino superior de Goiás.
  12. Alberto, direitor do Sinpro DF e da CTB DF.
  13. Michele Coutinho do Sint-ifesgo e movimento de mulheres.
    14.Carlos Passos, presidente do Sinaae, técnicos-administrativos de Goiás, setor privado.

Fonte: CTB/GO

Compartilhar: