Belém: Chapa da CTB vence eleição do Sindicato dos Rodoviários

A Chapa 1 – Luta Rodoviária, encabeçada pelo sindicalista Altair Brandão e apoiada pela CTB, venceu a eleição no Sindicato dos Rodoviários de Belém (Sintrebel) com 1.262 votos (46,9% dos válidos). O pleito ocorreu em 18 de agosto. A Chapa 2 – Limpa do Ceguinho obteve 937 votos, e a Chapa 3 – Renovação Rodoviária, 464. O novo mandato se iniciou de imediato e será completado em 17 de agosto de 2025.

As mulheres passaram a ter mais presença na nova direção, em especial a líder rodoviária Deusarina Lisboa, eleita secretária-geral. Maria Leonice também integrará a executiva, à frente da Diretoria de Mulheres.

Após a apuração, o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, ligou para Altair e registrou sua alegria com o resultado – que reafirma o Sintrebel como sindicato cetebista, classista e compromissado com a classe trabalhadora. Já presidente reeleito do Sindicato agradeceu à categoria, à comissão eleitoral e a todos envolvidos no processo. Ele conclamou a diretoria para a realização de um trabalho de reorganização e revitalização do Sintrebel.

A Chapa 1 também destacou a forte presença da CTB-PA no processo eleitoral, com dezenas de sindicalistas, sob a liderança do presidente Cleber Rezende. Militantes da UJS e da UBM também se empenharam no apoio à chapa 1.

Com 10 mil trabalhadores na base, o Sintrebel é um dos sindicatos mais importantes no Pará, com forte presença na categoria e reconhecida luta em defesa dos direitos dos rodoviários. Dos 3.624 trabalhadores aptos a votarem, participaram da eleição 2.702 trabalhadores – cerca de 75%. A CTB organizou a chapa que mais representava a amplitude da direção do sindicato.

Além da contundente vitória da chapa cetebista, o processo eleitoral dos rodoviários foi marcado pelas inúmeras tentativas da oposição em impedir a democracia sindical. Inicialmente marcada para abril de 2020, a eleição foi suspensa por ataques infundados da oposição – que, sem votos suficientes para ganhar a eleição, buscavam tentar afastar a diretoria do Sindicato para assumirem como interventores.

Adiada para dezembro, a votação foi novamente suspensa, às vésperas do pleito, com velhas mentiras requentadas. Desmascaradas as falsas alegações, o pleito foi finalmente remarcado e promovido na semana passada.

Já a Chapa 2 – Limpa do Ceguinho, construída por empresários do setor, não mediu esforços e recursos, em vão, para entregar a diretoria do Sindicato nas mãos dos patrões. Até parlamentares de direita tentaram interferir na disputa. A Chapa 3, montada pelo atual secretário-geral do Sindicato, com apoio da CUT e setores conservadores da política estadual, tentou golpear a categoria, com base numa leitura manipulada do estatuto. O grupo tentou cassar o mandato do atual presidente depois que ele foi eleito vereador pelo PCdoB em 2020.

Na prática, as chapas de oposição usaram, com abuso, a linha bolsonarista de ataques e mentiras, com uso de fake news nas redes sociais e acusações falsas no Ministério Público. Sabendo que, no voto, não teriam apoio da categoria, tentaram juntar as duas chapas, mas os interesses particulares dos financiadores do projeto de retirar o Sindicato da categoria impediu. Tentaram ainda cassar e depois tirar a autonomia da Comissão Eleitoral, negar lista de associados aptos ao voto e até a pedir presença da Polícia Federal para acompanhar as urnas.

“Apesar de todas as tentativas de inviabilizar as eleições, estas ocorreram e finalmente a categoria pode fazer a sua escolha de reconduzir a direção do sindicato para mais um mandato”, declarou Thiago Barbosa, membro da Comissão Eleitoral. “É uma vergonha que as eleições sindicais sofram tanta interferência do poder patronal; porém, a força da base da categoria foi mais forte, as eleições ocorreram, e a chapa mais votada, nas urnas, foi declarada vencedora e empossada.”

Com informações da CTB-PA

Compartilhar: