Pesquisas confirmam ampla vantagem de Lula e alta rejeição de Bolsonaro

Levantamentos feitos pelos dois principais institutos de pesquisas ao longo desta semana, Ipec (antigo Ibope) e Datafolha, revelam ampliação da vantagem de Lula sobre Bolsonaro e fortalecem a perspectiva de vitória de Lula já no primeiro turno das eleições presidenciais.

Na pesquisa Ipec, Lula subiu de 44% para 46% das intenções de voto contra 31% do atual presidente. A parada seria revolvida já no primeiro turno, uma vez que o ex-presidente conquistaria 51% dos votos válidos.

O Ipec não diverge muito do Datafolha, cujo levantamento, divulgado na noite de quinta (15), mostra o líder petista com 45% das intenções de voto, mesmo percentual verificado na semana anterior, enquanto o líder da extrema-direita brasileira caiu de 34% para 33%.

A diferença entre os dois rivais seria de 15 pontos percentuais num caso e 12 no outro.

Desespero e desalento do Clã Bolsonaro

Os números (ambos) levaram o desespero e o desalento ao QG da campanha de Bolsonaro e aos círculos bolsonaristas, que respondem intensificando a baixaria, difundindo fake news e difamando Lula e a oposição.

A realidade revelada nas pesquisas é que as iniciativas afoitas do governo para beneficiar a candidatura do presidente à reeleição, muitas delas à margem da lei, não tiveram os efeitos desejados.

A reversão da política de preços da Petrobras, que promoveu a deflação nos meses de julho e agosto, a PEC eleitoreira, que aumentou para R$ 600 o valor do auxílio emergencial até dezembro e o 7 de setembro, a montanha que pariu um rato. Nada disto alterou a percepção do povo de que o governo genocida de Jair Bolsonaro é uma tragédia nacional.

A taxa de rejeição ao presidente, que causou centenas de milhares de mortes com a conduta irresponsável e negacionista na pandemia do novo coronavírus, bate todos os recordes e transforma sua reeleição num sonho impossível. 53% das pessoas entrevistadas pelo Datafolha dizem que não votariam em Bolsonaro “de jeito nenhum”.

Na classe trabalhadora a vantagem do ex-presidente é devastadora, diferentemente do que ocorre entre os capitalistas. No grupo que recebe até dois salários mínimos, Lula tem 52% contra apenas 27% de Bolsonaro.

Sugestivamente, o petista lidera também entre quem recebe Auxílio Brasil, cujo valor foi aumentado e vem sendo pago pelo governo a todo vapor. O placar é ainda maior: 57% para Lula contra 26% atribuídos a Bolsonaro. Bolsonaro só ganha de Lula entre os mais ricos, que são minoria. Entre as pessoas com renda acima de 10 salários mínimos, ele tem 42% contra 29% do líder petista.

70% ainda não definiram voto para deputados

Refletindo a baixa consciência do eleitorado sobre a relevância do Congresso Nacional e das assembleias legislativas nos estados sete em cada 10 brasileiros e brasileiras entrevistadas pelo Datafolha ainda não sabem em quem vão votar para deputado federal ou estadual.

A pesquisa ouviu 5.926 pessoas nos dias 13 e 15 de setembro em 300 cidades brasileiras. 

Compartilhar: