15 de outubro, um dia para trabalhadores em educação chamarem de seu

No dia 15 de outubro é comemorado o Dia do/a Professor/a, em homenagem aos responsáveis por ministrar a educação e o conhecimento no país. Pela primeira vez, a data será celebrada sob a imposição do distanciamento social, devido à pandemia do covid-19, mas a nova situação vivida pela humanidade ressalta ainda mais o valor e a necessidade da categoria.

Com a pandemia, as aulas presenciais foram suspensas e os professores convocados – sem o devido preparo e o fornecimento de equipamentos necessários – a ministrar aulas e acompanhar os alunos através de meios digitais. O teletrabalho não era uma prática comum do educador, mas a categoria tem se reinventado para realizar seu trabalho de formação de crianças, jovens e adultos.

De repente, mestras e mestres usaram suas casas para gravar e transmitir aulas através de recursos digitais, acumulando as novas funções com as tarefas domésticas e a vida familiar. Também tiveram que elaborar atividades para que fossem realizadas a distância e adaptar o plano de aula ao ensino remoto, motivando, orientando e tirando dúvidas dos alunos e alunas. Além disso, auxiliam os pais no acompanhamento do estudo de seus filhos em casa.

Na ausência de uma orientação segura, científica, para o enfrentamento da pandemia a nível nacional, ficaram à mercê de gestores estaduais e municipais, também eles sem preparo para os desafios colocados por uma pandemia ainda desconhecida pela humanidade e pressionados pelos interesses da economia do mercado, inclusive no setor educacional, para o qual o lucro é o valor supremo.

Novos desafios

É grande a pressão empresarial e de alguns governos estaduais e municipais pela volta imediata das aulas presenciais – o presidente Bolsonaro, por seu lado, sempre pautou a ação do governo federal pela omissão diante da gravidade do problema e foi contrário à suspensão das aulas, além de violar orientações básicas da Organização Mundial de Saúde. Empresários aproveitam este momento dramático para ampliar o ensino a distância sem qualquer regulação ou preocupação com sua qualidade, e querem torná-lo perene.

É raro que os trabalhadores da educação sejam consultados pelos órgãos decisórios sobre a volta às aulas, e por isso se valem de suas entidades de classe para divulgar suas opiniões e exigências, já que estão diretamente envolvidos no processo. A Contee denuncia e repudia as ações inconsequentes e criminosas de retorno às aulas presenciais sem as devidas precauções sanitárias. O retorno das atividades presenciais deve ser realizado com critérios científicos e garantindo condições seguras e saudáveis de aprendizado e trabalho.

A presença física nos estabelecimentos de ensino, além de expor os profissionais do setor, os estudantes e seus familiares ao contágio, coloca também para os professores um desafio inédito: o acolhimento socioemocional dos estudantes – incentivar-lhes a confiança e estimular seu aprendizado.

Mais uma vez, trabalhadoras e trabalhadores terão que informar-se sobre procedimentos a serem adotados, na ausência de orientações governamentais ou dos empresários do setor. E mais uma vez contarão com seus sindicatos para enfrentar a visão mercantilista da educação e para a luta por condições seguras de trabalho e ensino.

Ainda é desconhecido o alcance do impacto da pandemia sobre a sociedade. Na educação, o abalo está sendo profundo e é de relevância o papel dos profissionais da área para que sejam estabelecidas novas rotinas, mais humanitárias e saudáveis, no novo cenário que vem se formando.

Origem do Dia do/a Professor/a

Em 15 de outubro de 1827, o imperador D. Pedro I criou o Ensino Elementar no Brasil, com a instituição das escolas de primeiras letras em todos os vilarejos e cidades do país. Em 1947, um grupo de professores paulistas propôs que a data fosse um dia de confraternização em homenagem aos mestres. Em 1963, o presidente João Goulart assinou o decreto nº 52.682, instituindo oficialmente o 15 de outubro “para comemorar condignamente o dia do professor”, determinando que “os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo delas participar os alunos e as famílias”

Neste Dia do/a Professor/a, saudando a categoria, a Contee reafirma seu empenho pela construção de uma sociedade solidária, progressista, democrática, com justiça social, onde a ciência e o saber estejam a serviço dos interesses maiores da humanidade, e não na priorização do lucro e dos ganhos de capital.

Brasília, 15 de outubro de 2020

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – Contee

Compartilhar: