Trabalhadores da enfermagem exigem aprovação do piso salarial

A Câmara dos Deputados vota nesta quarta-feira (4) o piso nacional da categoria que estabelece um valor mínimo aos enfermeiros de R$ 4.750, aos técnicos de 70% do valor, auxiliares e parteiras 50%

“Aprovação do PL Já”, foi a palavra de ordem usada pelos profissionais de saúde de todo o país numa manifestação realizada em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (4). Mais tarde os parlamentares votarão o projeto 2564/2020, de autoria do senador Fabiano Contarato (PT-ES), que garante o piso mínimo para enfermeiros de R$ 4.750, aos técnicos de 70% do valor, auxiliares e parteiras 50%.

A categoria lotou o espaço e demonstrou estar mobilizada no sentido de exigir que o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), cumpra a sua promessa e coloque o projeto em votação. Após o ato, os trabalhadores participam de uma sessão solene em homenagem à Semana Brasileira de Enfermagem.

Os profissionais da Enfermagem lotaram o ato política

De cima do carro de som, a presidente da Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE), Shirley Morales, disse que os profissionais e a enfermagem brasileira não estão pedindo favor. “A enfermagem quer que está Casa reconheça o nosso trabalho, as vidas que foram perdidas durante essa pandemia, rostos de amigos e amigas que não estão aqui. É por eles e por elas que nós estamos lutando por dias melhores”, discursou.

Trata-se, segundo Shirley Morales, do reconhecimento e respeito com a enfermagem brasileira que representa 60% da força de trabalho no setor de saúde. “Hoje, valorizar a enfermagem é valorizar o SUS (Sistema Único de Saúde)”, disse. Também ressaltou que não há nenhum impacto financeiro que vai quebrar hospital. “Fake News nenhuma vai nos separar dessa história”, disse.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde (CNTS), Valdirlei Castagna, disse que, até o momento, tudo que foi combinado com Arthur Lira está sendo mantido. “Vai surpreender a todo mundo se tiver alguma coisa contrária, mas não é essa a tendência. Ninguém é maluco na altura do campeonato, com toda essa mobilização da enfermagem, retirar isso de pauta”, advertiu.

O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) no Distrito Federal, Flausino Antunes, destacou a mobilização dos trabalhadores em todo o país. “O grande desafio é que não tenha nenhuma situação de retirada de pauta ou outra manobra. Estamos firmes e fortes para não deixar isso acontecer”, disse.

Parlamentares no ato

O deputado Orlando Silva discursou no evento e disse que recebeu um recado de Dona Vanda, sua mãe, que durante mais de 30 anos foi atendente de enfermagem no Hospital Roberto Santos em Salvador. “E ela falou: Filho você está pronto para fazer a votação na Câmara dos Deputados da lei mais importante da sua vida. Eu falei claro mainha.”

“Estou muito feliz de participar da votação que é o primeiro passo para o respeito, dignidade e reconhecimento dos profissionais de saúde que fazem o SUS funcionar”, completou.

Presente no ato, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) demonstrou otimismo na aprovação da matéria. “Vou votar pela a aprovação do piso salarial dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras. É uma demanda histórica dos profissionais da enfermagem, que precisam de reforço e valorização”, defendeu.

“Até agora nós estamos otimistas e queria destacar aqui a importância da mobilização que a categoria está fazendo. Não só fazendo no ato aqui, mas também visitando os parlamentares. Vamos à vitória”, afirmou a deputada Natália Bonavides (PT-RN), que também esteve no local.

Por Iram Alfaia, no Vermelho

Compartilhar: