Metalúrgicos de Caxias do Sul conquistam 10% de aumento em plena crise

Mesmo com a pandemia de Covid-19 e com as inúmeras medidas nefastas do governo Jair Bolsonaro contra os trabalhadores, o sindicato conseguiu arrancar um acordo histórico

Os trabalhadores metalúrgicos da região de Caxias do Sul (RS), na Serra Gaúcha, conquistaram uma das mais expressivas convenções coletivas neste período de crise sanitária e econômica. Na campanha salarial de 2021, sob a liderança de Assis Melo, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região, o reajuste salarial alcançado pela categoria foi de 10%, a ser aplicado neste mês de julho.

Esse mesmo percentual também será aplicado sobre outros benefícios econômicos, como o piso salarial e o auxílio-creche. Além disso, com a luta do sindicato, todas as cláusulas sociais da convenção foram preservadas. Assim, mesmo com a pandemia de Covid-19 e com as inúmeras medidas nefastas do governo Jair Bolsonaro contra os trabalhadores, o sindicato conseguiu arrancar um acordo histórico.

“Desde o começo da campanha salarial, discutimos junto à nossa direção e a toda categoria os efeitos que o cenário de pandemia e de grande inflação tem causado na condição de vida dos trabalhadores e das trabalhadoras”, declara Assis Melo. “Nossa luta teve esse direcionamento: buscar através do aumento salarial a valorização do trabalho, aliviando a pressão sobre o salários, combatendo o arrocho e recuperando o poder de compra das famílias metalúrgicas.”

De acordo com o dirigente, o sindicato mobilizou os trabalhadores tanto nas fábricas quanto nas redes sociais, numa grande demonstração da unidade na base. Com mais de 2.600 votantes e 99,5% de apoio à proposta da entidade, a assembleia virtual em que os trabalhadores aprovaram o aumento foi a maior na história da categoria. “Além do impacto econômico direto, essa conquista recupera a autoestima e a dignidade de quem trabalha. Precisamos levantar a cabeça e lutar pelos interesses da nossa classe”, afirma Assis.

Ele também ressalta o protagonismo sindical à frente dessa bem-sucedida negociação. Fundado em 1933, o Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região é uma das mais tradicionais entidades operárias do País, bem como a maior base metalúrgica da Fitmetal (Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil) e da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil). Conforme o dirigente, “a responsabilidade, a firmeza e a combatividade” são as principais marcas da entidade.

“O sindicato está prestes a completar 90 anos e é fundamental para a garantia de direitos. Mais que nunca, diversas garantias foram retiradas pela reforma trabalhista – e mesmo aquelas que resistiram ao desmonte da legislação são diariamente descumpridas por parte de um empresariado ganancioso e irresponsável”, diz Assis. “É aí que o sindicato entra, com sua experiência e com seus quadros renovados, que atuam dentro das fábricas.”

Para Assis, o desafio, agora, é garantir que toda a categoria tenha acesso, o mais rápido possível, à vacinação contra a Convid-19. “É como nosso slogan diz: ‘Para economia andar, vacina e aumento já’. Junto à garantia de direitos e à valorização dos salários, é preciso garantir a ampla e urgente vacinação do nosso povo, para preservar a vida e retomar a economia.”

Com cerca de 35 mil trabalhadores na base, o sindicato presidido por Assis representa os metalúrgicos de Caxias do Sul, São Marcos, Flores da Cunha, Farropilha, Garibaldi, Nova Pádua e Nova Roma do Sul. Entre as principais empresas na região, estão a Marcopolo, o Grupo Randon e a Agrale.

Por André Cintra

Compartilhar: