Sidebar

18
Qui, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Com sala lotada, a primeira aula ministrada na recém-inaugurada Escola Nacional de Formação da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), os juristas Antônio Renan Arrais e Cláudio Henrique Gouvêa afirmaram que o Direito do Trabalho e o sindicalismo nasceram de uma necessidade da nascente classe operária, superexplorada pelo capital.

Com o tema Os Precursores do Movimento Sindical e o Manifesto Comunista como Origem do Direito do Trabalho, a aula começou às 19h da segunda-feira (17), na sede do Sindicato dos Oficiais Marceneiros de São Paulo.

Gouvêa mostrou que sob a Revolução Industrial - entre os séculos 18 e 19 -, o operariado trabalhava entre 14 e 16 horas diárias, às vezes mais, inclusive mulheres e crianças e em situação de total desrespeito a qualquer direito trabalhista como se conhece atualmente.

Asssita as aulas:

 

Aí surgiram, disse ele “os socialistas utópicos que acreditavam na possibilidade de humanizar sistema capitalista”. Descreveu também como inicialmente o operariado identificava o avanço tecnológico como inimigo.

“Como as máquinas tiravam muitos empregos, os trabalhadores começaram a quebrar as máquinas”, assevera. Esse movimento foi chamado de ludista, por causa do personagem Ned Ludd, criado para identificar os quebradores.

A organização da classe trabalhadora se impôs. “O Manifesto Comunista, então, se tornou um marco na criação do Direito do Trabalho”, afirmou. 

Além do Manifesto do Partido Comunista (1848), dos pensadores e revolucionários alemães Karl Marx e Friedrich Engels, a Encíclica Rerum Novarum (Das Coisas Novas), da Igreja Católica e a criação da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em 1919, marcam os primórdios da luta operária contra a exploração capitalista, entre muitos outros fatores importantes.

No encerramento da aula, os juristas falaram sobre a importância de uma central sindical como a CTB criar uma Escola Nacional de Formação. “Primordial para melhorar a atuação sindical de todos e todas”, conclui Arrais.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.