Sidebar

17
Seg, Jun

Rurais
Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Durante a solenidade de posse da nova diretoria da Federação dos trabalhadores em Agricultura do Paraná (Fetaep), que acontece nesta sexta-feira (dia 24), às 16h30, nas instalações da entidade, acontecerá a assinatura de um decreto governamental que instituirá um grupo de trabalho voltado exclusivamente a conhecer a realidade da juventude rural paranaense.

O governador Beto Richa, que estará prestigiando a posse da diretoria, aproveitará a ocasião para concretizar a instauração do grupo – que tem o objetivo de promover estudos sobre a evasão de jovens do meio rural e de elaborar propostas concretas que visem o fortalecimento da juventude por meio da sucessão rural.

No Paraná, a Fetaep estima – com base em estudos do IBGE – que aproximadamente 500 mil jovens estão no meio rural. “Apesar de a Fetaep conhecer alguns dos motivos que levam a juventude a sair do campo, como por exemplo a dificuldade de acesso à terra e ao crédito, a atuação do grupo de trabalho será de grande valia, uma vez que deverá envolver todos os atores do segmento rural”, comenta o antigo secretário de Juventude da Fetaep, Marcos Brambilla.

Segundo ele, é a primeira vez que um grupo – com poderes para sugerir ações concretas – sai do papel. “Mediante a realização dos estudos, Estado e entidades privadas estarão olhando para o mesmo horizonte em busca de trabalho, renda, crédito, educação e tecnologias”, afirma Brambilla.Com a duração de seis meses a partir da data da publicação, o grupo contará com a presença de representantes do poder público estadual e de entidades privadas.

O Estado será representado pela Secretaria da Agricultura e de Abastecimento (SEAB), pela Secretaria de Educação (SEED), pela Secretaria de Comunicação Social (SECS), pela Secretaria de Trabalho e do Desenvolvimento Social (SETDS), pelo EMATER e pela assessoria especial para Assuntos de Políticas Públicas para a Juventude (AEJ).

Já na relação das entidades privadas, além da Fetap, estão presentes o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP) e a União das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes).

Iniciativa de instaurar o grupo de trabalho surgiu de uma demanda do Festival Estadual da Juventude Rural, realizado em maio do ano passado pela FETAEP. Do evento, que reuniu cerca de 400 jovens paranaenses em Pontal do Paraná, saiu a Carta da Juventude que foi encaminhada ao governo do Estado e à assessoria especial para Assuntos de Políticas Públicas para a Juventude. “A partir daí sentimos que tudo passou a caminhar mais rápido”, comemorou Brambilla.

Dados

Em todo Brasil, segundo dados do Censo Demográfico 2010, aproximadamente 8 milhões de jovens, com idade entre 15 a 29 anos, vivem no campo. Longe de ser uma categoria homogênea, a juventude trabalhadora rural expressa uma diversidade de identidades e formas de inserção no mundo do trabalho, marcada pela participação na agricultura familiar, no extrativismo, no trabalho assalariado rural, como também nas atividades não agrícolas.

Fetap e a Juventude

Para o Movimento Sindical dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais (MSTTR) são considerados jovens rurais aqueles com idade entre 16 e 32 anos, que residam e trabalham no campo.

“E é justamente essa faixa etária que mais migra do meio rural para os centros urbanos”, comenta o secretário de Juventude da Fetaep. Além disso, continua ele, essa fuga para as cidades é ainda mais significativa entre as meninas, “caracterizando dupla discriminação - uma pelo trabalho feminino e outra pelo trabalho juvenil”, diz referindo-se à masculinização do campo.

Outro agravante que prejudica a permanência do jovem no meio rural é o pouco poder de decisão que eles têm dentro das unidades familiares de produção. “Por serem jovens, em muitos casos a família os enxergam como indivíduos ‘em formação’, colocando em descrédito suas ideias e sugestões por considerá-las inovadoras ou então modernas demais”, comenta Brambilla.

Papel da Fetap 

Por meio do trabalho de formação, a Fetaep busca trabalhar a consciência dos jovens acerca de seu papel e capacitá-los para a sucessão rural responsável com acesso a políticas públicas. Além disso, de acordo com o presidente da Fetaep, Ademir Mueller, foca suas ações em trabalhos motivacionais com a juventude com vistas ao fortalecimento da categoria. “Nosso principal objetivo é que os jovens tenham oportunidades na área onde vivem para que permaneçam no campo com qualidade de vida. O que significa, na prática, garantir o acesso à educação, ao lazer, à saúde e à informação com qualidade”, afirma Ademir Mueller, ao incentivar a juventude rural em seu mandato.

Fonte: Fetaep

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Conferência Nacional

banner cndr 2015

Últimas notícias rurais