Sidebar

24
Seg, Jun

Rurais
Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

No último sábado (20), cerca de 450 Sem Terra realizaram um ato simbólico e místico na inauguração da Escola Municipal Comandante Hugo Chávez, localizada no Pré Assentamento Hugo Chávez, em Medeiros Neto, no Extremo Sul da Bahia.

A escola, que foi construída com os recursos das famílias do pré-assentamento, tem o objetivo de atender aproximadamente 130 crianças e adolescentes nas modalidades de educação infantil, ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O ato de inauguração criou um ambiente místico apontando o esforço coletivo das famílias, que em apenas em três anos, debateram a necessidade e construíram a escola. Com diversas palavras de ordem e músicas, as famílias defenderam que “a educação é um direito natural e que não pode ser privatizada”. 

Emocionada, Anabelly Gomes, com apenas 6 anos, disse que ao ver as portas abertas e as pinturas nas paredes da escola, feitas pelos Sem Terrinha, sentiu-se construtora de seu futuro. “A escola ficou muito bonita e agora todos os Sem Terrinha poderão estudar no assentamento, sem a necessidade de ir à cidade”, explicou.

Antes da construção da escola, as crianças estudavam num barraco feito com lona, madeira e palha. Relembrando este momento, Anabelly afirma que gostava de estudar na escolinha de lona, “mas a nova escola tem desenhos nas paredes que são muito bonitos e que parecem a nossa casa. E as salas são bem grandes e cabe todo mundo”.

Para Sirlene Batista, educadora, o processo de construção da escola exigiu muito sacrifício e determinação das famílias, que desejavam um espaço capaz de proporcionar melhores condições, mais comodidade e conforto às crianças e aos educadores.

“As famílias não desistiram diante da falta de apoio e as barreiras burocráticas impostas pelo poder público municipal. Foi o conjunto que veio nos fortalecer para construir a escola, legitimando ainda mais nossa identidade”, pontuou Batista.

Pensando nisto, Jose Mota, da direção estadual do MST, destacou que a Reforma Agrária Popular também é a garantia que a população do campo tenha acesso à educação e ao conhecimento. “Diante da incapacidade do poder municipal de compreender a necessidade da construção de uma escola na comunidade”.

Com objetivo de resgatar a memória coletiva e histórica dos homens e mulheres que doaram suas vidas em defesa das lutas dos povos oprimidos, durante o ato, o MST homenageou diversos lutadores, entre eles, o comandante Hugo Chávez.

Portal CTB com MST

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Conferência Nacional

banner cndr 2015

Últimas notícias rurais