Sidebar

23
Ter, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

As novas revelações do site norte-americano The Intercept, tornadas públicas pelo jornalista Reinaldo Azevedo, confirmam a utilização do Judiciário, sejam os atores, estrutura e as próprias leis, para destruir inimigos políticos. As gravações mostram os acertos feitos pelo procurador Deltan Dallagnol, o então juiz Sérgio Moro e o ministro Luiz Fux, do STF, para influenciar na eleição presidencial do ano passado.

O caso é grave. "Fux disse para contarmos com ele para o que precisarmos, mais uma vez. Só faltou, como bom carioca, chamar-me para ir à casa dele rs", comenta Dallagnol com um grupo de procuradores. Como fica claro na gravação, ao saber do acerto, Moro comemora: "Excelente, in Fux we trust", fala em inglês. Traduzindo, "no Fux a gente confia".

Pouco tempo depois, o ministro do STF viria dar provas da "confiança", ao negar a entrevista de Lula, às vésperas do segundo turno da eleição presidencial. A própria extrema direita admitiu que a fala do ex-presidente poderia influenciar no resultado das urnas. Confirmou a prisão política.

Há muito tempo que as forças progressistas denunciam para o Brasil e para o mundo o uso escancarado da Justiça para atender interesses políticos e eleitorais. Uma imoralidade.

Com informações de bancariosbahia.org.br

0
0
0
s2sdefault