Sidebar

17
Seg, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Cerca de 30 áreas de trabalho da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) amanheceram paradas, tanto na capital quanto no interior, nesta sexta-feira (11), Dia Nacional de Paralisações e Atos.

As ações foram lideradas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente (Sintaema), um dos maiores sindicatos da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - CTB. Segundo o presidente do Sintaema, René Vicente, além da pauta da retirada dos direitos trabalhistas, proposta pelo governo biônico de Michel Temer, a categoria também debateu temas de interesse dos trabalhadores e trabalhadoras do setor.

Na avaliação dele o ato foi proveitoso e teve boa adesão. “Debatemos com nossa base, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55 que congela investimentos em saúde e educação por 20 anos, a terceirização na atividade-fim, a súmula 277, que prejudica os acordos coletivos”, afirmou o dirigente.

Ele informou ainda que no dia 24 a categoria realizará uma assembleia para avaliar as negociações do Vale Alimentação e o Plano de Cargos e Salários.

Segundo Vicente, a categoria irá se somar ao ato que ocorrerá às 16horas na praça da Sé e reunirá diversas categorias do movimento sindical, representantes do movimento social e da população em defesa dos direitos. 

"O remédio é lutar"

Presente na paralisação da Sabesp, o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, destacou que os atos de hoje, pelo Brasil, inauguram uma ampla jornada de luta em defesa dos direitos e contra os ataques impetrados pelo presidente sem voto Michel Temer. 

“A classe trabalhadora já sente os efeitos da receita nociva aplicada por Michel Temer em sua gestão sem voto. Sabemos o que está em jogo caso sejam aprovadas no Congresso Nacional a PEC 55, apelidada de PEC do Fim do Mundo, e as reformas da Previdência e Trabalhista. A receita não tem contra-indicação. O remédio é lutar".

“O objetivo neste dia 11 é paralisar, com a maior amplitude possível e mostrar àqueles que querem governar contra o povo que não é possível fazê-lo sem enfrentar muita resistência e indignação popular, avisou Araújo. 

Portal CTB 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.