Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A política de desmonte do Estado de São Paulo corta de onde mais o povo precisa - educação, saúde, mobilidade urbana e segurança pública. Os dados assustam. Entre 2011 e 2017, o estado perdeu 122,4 mil servidores públicos ativos, uma redução de 734,5 mil para 602,5 mil, nas mais diversas áreas.

Todavia, a gestão Alckmin reforçou as contratações dos terceirizados - com jornada maior, salário menor e sem direitos. Os gastos aumentaram, nesse período, de R$ 10 bilhões para R$ 11,4 bilhões por ano.

Ao comentar os dados, a deputada estadual Leci Brandão (PCdoB/SP) credita a triste realidade ao projeto sem compromisso do PSDB para São Paulo. Segundo a parlamentar, é claro o descaso com os servidores e servidoras públicos e esse descaso é ainda maior com o povo que tanto sofre com a redução do quadro de funcionários, como com a piora do serviço.

Brandão diz que a estratégia deixa claro o objetivo final do governo estadual: privatizar tudo.

Portal CTB - Com informações das agências

 

0
0
0
s2sdefault