Sidebar

24
Seg, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Cerca de 10 mil pessoas, de acordo com os organizadores, caminharam mais de três quilômetros em Belém na última sexta-feira (10), no Dia Nacional de Luta, Mobilização e Paralisação de Resistência ao Golpe. O ato foi organizado pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

A concentração começou por volta das 16 horas, na Praça da República, próximo ao Teatro da Paz. De um carro-som, ativistas de movimentos sociais discursavam mostrando as trágicas consequências do golpe para vida das pessoas, para a democracia e para o país. Alternadamente, artistas locais animavam os manifestantes com muito carimbo e músicas de protesto.

Por volta das 19 horas, a caminhada começou por debaixo de chuva, o que não tirou o ânimo das pessoas. Durante o percurso até São Brás, ocorreram cinco paradas para esclarecer aos moradores e transeuntes sobre a realidade brasileira.

A primeira parada foi em frente ao prédio do INSS, no início da avenida Nazaré. Os discursos procuraram mostrar o desmonte da Previdência promovido pelo governo Temer que retira direitos sociais duramente conquistados pelo povo brasileiro, entre eles a alteração das regras para os atuais segurados.

A parada mais demorada foi em frente a TV Liberal, afiliada da Rede Globo, quando foi denunciada a participação das empresas de mídia, especialmente do Grupo Globo, no golpe que retirou do poder a presidenta democraticamente eleita. Também foi explicado o sistema de comunicação no país, onde poucas famílias dominam os meios de comunicação de massa, influenciando nas decisões políticas.

Já se aproximava das 22 horas quando a caminhada chegou em São Brás, após, chuva, suor, consciência política e muita vontade de continuar a resistência pelo retorno da democracia.

Portal CTB com agências

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.