Sidebar

20
Sáb, Jul

zona leste

  • Vinicius Segalla e Gustavo Aranda entrevistaram para os Jornalistas Livres, Cleide Cruz, a caixa do supermercado Dia, que foi humilhada pelo então deputado federal e apresentador Celso Russomanno, 10 anos atrás, em uma reportagem sobre direitos do consumidor.

    Atualmente concorrendo à prefeitura de São Paulo pelo PRB, Russomanno ameaçou, na reportagem, levar as duas funcionárias que tentavam contornar a situação à delegacia de polícia, caso não resolvessem a sua questão. Ele queria comprar uma unidade de alguns produto contidos em embalagens com mais unidades.

    Os repórteres contam que “Russomanno, publicou uma nota na imprensa afirmando que jamais ofendeu Cleide ou nenhum outro funcionário, e o vídeo que está circulando na rede é uma edição maldosa para fazer parecer que ele ofendera os funcionários” (confirme aqui).

    Cleide Cruz contra outra história. “Ele me humilhou, a mim e à subgerente. Por causa deste episódio, fui rebaixada de salário e transferida para uma unidade bem mais distante da minha casa”.

    Ela trabalhava na Vila Formosa, zona leste da capital paulista e foi transferida para Ferraz de Vasconcelos, na região de Mogi Mirim, distante pouco mais de 30 quilômetros da capital. “Inconcebível a atitude da direção dessa empresa. Tem uma funcionária humilhada publicamente e ainda a pune por isso”, diz Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em São Paulo (CTB-SP).

    A caixa humilhada conta que o novo local de trabalho foi uma punição para ela. “Completamente fora de mão para mim, foi um castigo. Houve mudança de carga horária e com isso eu tive uma redução salarial. É que o supervisor disse que eu conduzi mal o processo, que não soube lidar com a situação e acabei expondo o supermercado”.

    Ela conta ainda que procurou a produção do programa da TV Band, onde Russomanno trabalhava. “Então, eu liguei, para ver se ele podia ajudar, mas ele nem quis falar comigo. A produção disse que ele não poderia fazer nada, que ali no supermercado ele só estava fazendo seu trabalho”.

    E para piora a situação, Cruz foi demitida pelo supermercado Dia. “O fato mostra que a defesa dos direitos do consumidor feita pelo candidato-apresentador representa apenas um lado. Justamente contra os trabalhadores e trabalhadoras”, reforça Bitencourt.

    “No caso em questão, fica evidente o desrespeito que o senhor Russomanno teve para com Cleide Cruz. Tratou ela como se ela não fosse nada”. Afirma a sindicalista. A funcionário do supermercado conta em vídeo que tentou até fazer acordo com a empresa e a resposta que recebeu é que foi demitida porque não foi simpática.

    assista a entrevista de Cleide Cruz 

    Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB